LIDERANDO MUDANÇAS – Parte 02

MUDANÇAS E A NOVA LIDERANÇA

Continuação do artigo Liderando Mudanças parte 01– É importante ressaltar que esse novo formato de liderança, não é nem de longe sombra do antigo e conhecido chefe. Nessa nova liderança não cabe mais a frase, “faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”. Tão pouco ser uma pessoa que vive de passado e não aceitar mudanças. Nessa nova liderança não cabe mais o (a) “Gabriela” – “eu sou assim e vou morrer assim”.

Esse tipo de coisa, não se encaixa nenhum pouco no papel do agregador de valor que é o gestor de pessoas ou líder. O líder de hoje tem que ser um pouco coach, psicólogo, treinador, motivador – uma referência humana.

Claro que devemos ser tudo isso, sem abrir mão da organização,  do planejamento, da responsabilidade pelos resultados, da comunicação assertiva e do comprometimento com as metas e visão estratégica da empresa. As funções relacionais e emocionais, são importantíssimas porque resultam aos liderados a possibilidade de: aprendizagem, desenvolvimento e transformação.

O líder moderno trabalha o autoconhecimento e a autoconsciência das PESSOAS, atuando sempre com ênfase no aperfeiçoamento do modelo mental e do comportamento de cada individuo da equipe. Se o líder, não compreende os seus liderados como pessoas, certamente não vai conseguir resultados positivos com elas.

Mudanças Positivas

Mudanças positivas nada mais são do que um processo dinâmico de progressão. Posso lhe afirmar com toda certeza, que até em organizações de alta performance, mudanças sempre são bem vindas. Saber por quê? Porque, o sucesso de ontem não garante o de hoje e muito menos o de amanhã!

Organizações modernas compreendem a necessidade de mudança como uma questão de sobrevivência, pessoas inteligentes enxergam a mudança como necessárias para o próprio crescimento e desenvolvimento – Mudanças positivas são sempre agregadoras e úteis em todos os aspectos!

Claro que só o fato de pensar em mudanças já assusta muitas pessoas, imagine implantar ou ser responsável pela sua implantação em uma organização empresarial. Não será muito mais desafiador? Com certeza sim!

Por isso, você que é ou deseja ser um líder vai precisar desenvolver algumas habilidades para ter sucesso nesta difícil tarefa, como: planejamento, sensibilidade, preparação, paciência, ousadia, confiança, flexibilidade, equilíbrio, saber ouvir e empatia.

Algumas ações positivas são bem vindas para facilitar o processo de mudança e podem contribuir bastante nas fases posteriores. Diante disso, vamos estudar um pouco mais duas dessas habilidades: planejamento e preparação.

Planejamento – (previsibilidade)

Primeiro – o planejamento tem a função de trazer previsibilidade a todos os envolvidos no processo.

Defina as ações no planejamento:

  1. Problemas: identificação e pontuação do estado atual.
  2. Objetivo: definição dos resultados esperados
  3. Motivos: conscientização das necessidades de mudanças.
  4. Transparência: comunicação das mudanças necessárias.
  5. Aplicação: definição dos períodos de avaliação e correção.
  6. Resultado: avaliação final e melhoria contínua.
Preparação – (capacitação)

Segundo – a preparação tem a função de trazer capacitação a todos os envolvidos no processo.

Defina as ações da capacitação:

  1. Requisitos: competências necessárias para atender a mudança.
  2. Pessoas: quais colaboradores possuem essas competências?
  3. Time: quem ainda não tem essas competências, mas é prodígio?
  4. Mentor: quem vai ser o mentor dessas pessoas?
  5. Treinamento: faça palestras e workshops sobre essas competências.
  6. Objetivo: mostre a importância da mudança para a organização.
  7. Abrangência: indique pra quem mais onde essas mudanças vão agregar valor.

Liderando Mudanças – Regra básica das Mudanças Positivas

Sempre oriento às pessoas que me procura, quando de uma necessidade de mudança a tomarem os seguintes cuidados: faça tudo o que for necessário antes de efetiva-las; antecipe-se aos fatos, ouça atentamente as sugestões do grupo de trabalho, peça apoio, seja humilde, demonstre como sua equipe deverá agir e reagir às possíveis demandas. Certamente quando o processo iniciar, o grupo estará alinhado e a participação será mais efetiva!

Imediatamente ao lançamento do processo, inicie as avaliações para identificar as primeiras falhas e realize os ajustes necessários. Posteriormente, compare o antes e o depois (tempo sugerido: momento zero a três meses), solicite ajuda das equipes e demonstre os resultados.

Se o resultado não for positivo, ajuste o plano estratégico e execute a implementação novamente. Feito este alinhamento é muito provável que tudo se resolva, porém se isto não acontecer, então reveja os conceitos e os pilares motivadores da mudança, por último ainda poderá avaliar se existe alguém que esteja trabalhando contra. – Considere a hipótese de um possível boicote.

Liderando Mudanças – O líder necessita entender Atitudes Grosseiras

Nesta hipótese [boicote], recomendo que você tenha uma sincera e profissional conversa com esta (as) pessoa (as), pergunte e se demonstre interessado em ajudar, veja se essas mudanças podem de alguma forma prejudicar ou impactar negativamente alguém, e ainda se coloque a disposição. – Seja empático, jamais acuse, mesmo que tenha provas simplesmente ouça atentamente, se assim fizer e a (as) pessoa (as) continuarem imutáveis, talvez esteja na hora de tomar uma decisão mais complexa.

Não é poucas vezes que o boicote se representa como uma forma de valorização dos interesses pessoais em detrimento dos interesses organizacionais. Ou seja, é uma manifestação pessoal, mas pode ser coletiva com o simples objetivo de chamar a atenção para alguma situação que na visão deles (indivíduos) está sendo desprezada.

Como líderes, temos a obrigação de encontra uma solução para este problema sem prejudicar o processo e a organização. Creio que um ótimo diálogo, tem o poder de resolver essas questões!

Posteriormente, reforce os possíveis resultados positivos do processo de mudança para toda organização, mostrando qual era o problema e como foi tão facilmente resolvido, pode ser que exista alguém ainda que não esteja acreditando no sucesso deste projeto e a clareza vai fortalecer os indecisos.

  • Reforçando: Cuidado com o conteúdo dessas conversas para que não ocorram acusações, suposições, desagravos e até mesmo, afirmações sem provas como é o costume de muitos.

Todo processo de mudança necessita de um determinado período para conseguirmos colher os primeiros resultados, provavelmente de seis a doze meses. Portanto, não tenha pressa. Sabe por que lhe digo isso? Você pode colocar tudo a perde se não passar por todos os degraus.

Por vezes que trabalhei em projetos de reengenharia, observei muitas precipitações principalmente se tratando de mudanças culturais e de sistemas (ERP’s).

Por essa razão, o líder tem obrigação de servir-se de toda sua capacidade criativa e de comunicação para minimizar os possíveis impactos negativos do trabalho cotidiano com as pessoas. Então, você que é ou deseja ser um líder de verdade, se prepare para lidar com mudanças. Não quero lhe assustar, mas trabalhar mudanças no campo organizacional não é uma tarefa nada fácil!

– Liderando mudanças foi escrito em duas partes, essa é a segunda. Por isso é muito importante que o (a) ilustre amigo (a) leia a primeira, e assim possa entender melhor essa discussão.  

Obrigado.

 

Quer Conhecer As Três Principais Características Do Líder Moderno?

Ricardo Campos

Olá, meu nome é Ricardo Campos, sou COACH & Analista Comportamental DiSC®, minha maior missão é apoiar a formação de novos Líderes, Gestores e Empreendedores. Eu sou o seu Coach Essencial!!!

Website:

Deixe uma resposta